Seguidores

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Nasci, brotei e me fiz flor!



Eu era o breu

Foto amarelada

Onde a tristeza fazia morada


Fiquei luz

Foto iluminada

Onde a alegria fez pousada





Eu era triste

 Dia sem sol

Não ouvia o canto do rouxinol



Fiquei alegre

Dia ensolarado

Muitos pássaros cantam do meu lado


 


Eu era insegura

Arvore no barranco

O medo me cobria como um manto



Fiquei forte

Imensidão do mar

Deixei a vida me desafiar


 


Eu era pequena

Semente debaixo da terra

O medo dos ventos na serra!



Acordei

Nasci, brotei e me fiz flor!

E inundei o meu universo de amor


 


Eu era o sal da lágrima

Tristeza infinda no coração

Aonde eu ia o meu pranto molhava o chão


Virei sorriso

A alegria da canção

Os anjos me conduzem pelas mãos


 


Eu era a solidão

Vida vazia nas noites de verão

Sentia-me frágil e sem proteção



Eu me completei

Eu me preenchi de amor

Uma força que me guia aonde eu for!

By Janete Sales
"Dany"
Respeite os direitos autorais
15/01/2013


 Imagens:


 Licença Creative Commons
O trabalho Nasci, brotei e me fiz flor! de Janete Sales Dany foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

8 comentários:

  1. Que lindo amiga, se vestiu mesmo de alegria... e é contagiante. Felicidades. Bjinhos pra ti.
    http://poesiasesonetos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nádia Santos!
      Todas as respostas e curas estão em nós mesmos...porém procuramos nos outros o que deve ser constante em nós...o sorriso verdadeiro e o amor a vida!

      Obrigada amiga pela visita!

      Felicidades!
      Beijos e abraços

      Excluir
  2. Olá, Janete!

    Além de muito belo o poema, a combinação com as imagens ficaram perfeitas. De muito bom gosto a postagem.

    Um abraço pra você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OLá Wil!

      Boa tarde!

      Fico feliz amigo que o post lhe agradou!
      Muito obrigado pela visita e comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Oi Jane,aproveitei a sua foto lá no seu perfil e pequei uma atalho pra cá...eu fico impressionado com relação ao seu capricho e dedicação nos seus posts...e a seu blog de modo geral...o verso que mais me tocou foi: "eu era insegura, arvore no barraco, o medo me cobria como um manto", não sei porque razão..
    Devo confessar minha saída precipitada do seu blog sem ver o vídeo ( espero que ele esteja em outros lugares ) paulistano com pressa é uma desgraça...mas no meio do caminho mudei de ideia e decidi ve-lo...Tenho uma educação bem machista, devo admitir que as lágrimas rolaram, ele é muito tocante, não sei se já tinha visto..sua poesia social é muito marcante...Eu sempre me torturo pela falta de tempo ou distração impedindo de acompanha-los mais de perto...

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OLá Marcos amigo!

      Que ótimo ve-lo por aqui...a gente sempre quer visitar os amigos...porém o tempo é escasso, eu bem sei disto...tenho vários perfil espalhados,e não dou conta!

      Fico muito feliz pela sua visita, grande amigo...e mais ainda em saber que você aprecia as minhas publicações!

      Uma linda noite para você!
      Obrigado de coração!


      Beijos

      Excluir
  4. Janete,
    Lindo poema!
    Realmente você se fez Flor...!
    Abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Kátia Kappel!

      Amiga muito obrigada pela presença
      e estímulo!

      Amo as flores...rsrsrsrs

      Agradeço de coração! Beijos

      Excluir