Seguidores

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

As asas cruéis da solidão

Muitos já viram um anjo que caminha só
Pisa num chão seco e em volta sobe o pó
Olhos atentos ao mundo que não é seu
Carrega no peito o coração que morreu

Leva com ele as asas cruéis da solidão
Nem relembra que já teve um coração
O seio dividido e o rosto entristecido
Não está vivo; será que teria morrido?

Se ele abre os braços voa para o abismo
Deixar tudo seria fatalidade ou egoísmo?
Os olhos espiam o mundo que se perdeu
Pensava conhecer o amor e desconheceu

Na manhã o sol desce sobre o telhado
O anjo fechou as asas; ele está cansado
Vagueia e se completa com a escuridão
E nem de joelhos alcança a compaixão!


Ele já voou atrás do tão querido amor
Expôs o corpo da alma com esplendor
Pensou que assim ganharia o coração
Hoje ele caminha na trilha da solidão 
Janete Sales Dany

 Poesia Registrada na Biblioteca Nacional

Licença Creative Commons
O trabalho As asas cruéis da solidão de Janete Sales Dany foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.



4 comentários:

  1. DANNY VOCÊ NÃO EXISTE !!! QUE COISA MAIS LINDA !!! ME TOCOU DEMAIS !!! NÃO SABES QUANTO TE GOSTO E TE ADMIRO !!! E POR ESTAS PEQUENAS GRANDES COISAS !!! PRECIOSIDADES QUE NOS DÁ !!! TE GOSTO VIU !! OBRIGADO !!!

    Pedro Pugliese

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querido amigo!
      Fico feliz em saber que lhe agradou as minhas linhas,
      foi coração e alma...e se os amigos gostam, incentivam é algo muito valoroso; ajuda me a seguir em frente!

      Obrigado pela presença de paz e luz!

      Um grande abraço

      Um ótimo fim de semana
      Abraços

      Excluir
  2. Respostas
    1. Boa noite amiga!
      Obrigada pela visita e estímulo!
      Fico feliz que você gostou
      Volte sempre

      Beijos

      Excluir