Seguidores

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Soneto Solidão - Versos Decassílabos Heroicos




Solidão pesarosa, triste abrigo...
Eu pensava que a luz me acompanhava!
Jamais há quem entenda o meu perigo...
Sei que minha visão só delirava

Neste instante sou só, sou meu castigo...
Desabou todo céu que eu tanto amava
A loucura profunda anda comigo
E perdi o chão seguro que pisava...


O sol ficou pequeno, tão sentido...
Nem me anima, parece anoitecido!
Longos sonhos se afogam em meu mar

Grito preso em meu ser, o meu sofrer...
Escondo rindo para ninguém ver...
Um pranto atroz que não quer terminar!

Janete Sales Dany
Poema registrado na Biblioteca Nacional
No Livro:
Vilarejo do Preconceito e outras
Licença Creative Commons
O trabalho Soneto Solidão de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Sonetos costumam aparecer em provas de vestibular.
Resolvi deixar aqui algumas considerações.
 A informação se faz indispensável,
pois aos poucos podem ser úteis!
 Aspectos de um Soneto Decassílabo Heroico
4 estrofes, sendo 2 quartetos seguidos por 2 tercetos
Versos heroicos
Um ponto importante é a métrica, 
todas as linhas com 10 sílabas poéticas 
Acentuação tônica na 6ª e 10ª sílabas
Quanto as rimas:
rimas entrelaçadas ou opostas – abba -
rimas alternadas – abab
rimas emparelhadas – aabb

Vejam este exemplo em imagem





Nenhum comentário:

Postar um comentário