Seguidores

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Soneto Fera Cativa - Decassílabo Heroico


Atrás das grades um olho me atenta
A prisão me afastou da natureza
O riso sem razão só me violenta
Humanos que me fecham na tristeza

Meu urro desesperado é dor que ostenta!
Mostro as garras num ato de defesa!
Exponho o rancor, sou fera sedenta...
Tiram fotos e pensam que há beleza


Enclausurado num canto restrito
Roubaram o meu chão e todo infinito!
Não sou filme, sou vida padecendo...

Muitos olhares querem me assistir
Deprimido, me encolho e vou dormir...
Eu sou uma diversão, jamais entendo!

Janete Sales Dany
21/02/2016
Poema@protegido por lei
Registrado e imortalizado na Biblioteca Nacional 
no livro: Soneto mar e outras
T5551001
São Paulo - Brasil
as 23:34 hs

Licença Creative Commons
O trabalho Soneto Fera Cativa de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário