Seguidores

domingo, 24 de abril de 2016

Odeio Vagabundo - Soneto Decassílabo Heroico



Ódio que vem mirrando o nosso mundo
Matam a natureza sem piedade
Há luta pelo poder; ah ser imundo!
Veste a máscara, pura falsidade...

E depois nada faz o vagabundo!
Trabalha pelo bolso, isto é verdade...
Desamor sem fim, um desdém profundo
Não faz algo que salve a sociedade

O ódio caminha pela nossa terra
E nós já estamos em campo de guerra
O inocente morrendo numa esquina

Tem filas colossais nos hospitais
O importante são todos carnavais
Parece que o alimento é serpentina

Janete Sales Dany
São Paulo - Brasil
24/04/2016
Poema@registrado na Biblioteca Nacional

T5615382

Licença Creative Commons
O trabalho Odeio Vagabundo de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário