Seguidores

domingo, 26 de junho de 2016

Passarinho Solidão - Soneto decassílabo Heroico



Acordo bem cedinho e estou sozinho
Tenho lembranças da felicidade
Amor que se ostentava no meu ninho
Hoje só vejo o vulto da saudade

Pareço mansidão do passarinho...
Sensível, e enfrentando tempestade!
Eu voo junto de um bando e sem carinho
Poucos pássaros sabem da verdade
E perto deles nem sou percebido
Vou com todos, mas tenho amor ferido!
Vivo solidão mesmo com presença
Perdi o céu, porém nem me pertencia...
Ele se escondeu nesta nostalgia!
Minha alma chora e teme que a dor vença

Janete Sales Dany

Poema@protegido por lei
T5679293
26/06/2016
São Paulo - Brasil
Imagens trabalhadas nos programas gratuitos:


Gimp e PhotoScape

Licença Creative Commons
O trabalho Passarinho Solidão de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário