Seguidores

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Soneto Lágrimas do céu - Decassílabo Heroico

A escassez me consome neste instante
Minha alma pede amparo em cada olhar...
Desprezam meu universo suplicante
Martírio que jamais posso encarar...

Soberba que só lesa o semelhante!
Eu perdi o viço de tanto implorar
A dor dissimulada em meu semblante!
Reprimi para não me devastar

Pereci quando vi que tanto faz
Para alguns pouco importa a minha paz
Esperanças escorrem no cimento

Prantos dos olhos tristes como os meus...
Tantas noites clamando para Deus!
Quando chove o céu viu nosso lamento...

Janete Sales Dany
São Paulo- Brasil
25/08/2016
T5740004
Poema @protegido por lei

Licença Creative Commons
O trabalho Soneto Lágrimas do Céu de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário