Seguidores

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Soneto Lágrimas do céu - Decassílabo Heroico

A escassez me consome neste instante
Minha alma pede amparo em cada olhar...
Desprezam meu universo suplicante
Martírio que jamais posso encarar...

Soberba que só lesa o semelhante!
Eu perdi o viço de tanto implorar
A dor dissimulada em meu semblante!
Reprimi para não me devastar

Pereci quando vi que tanto faz
Para alguns pouco importa a minha paz
Esperanças escorrem no cimento

Prantos dos olhos tristes como os meus...
Tantas noites clamando para Deus!
Quando chove o céu viu nosso lamento...

Janete Sales Dany
São Paulo- Brasil
25/08/2016
T5740004
Poema @protegido por lei

Licença Creative Commons
O trabalho Soneto Lágrimas do Céu de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

SANTA SARA KALI - PRECE - POEMA

No desespero fiz esta oração
Santa Sara me salve da perseguição!
Desfaça as portas que se fecharam para mim
Só impere a felicidade e na dor coloque um fim
Santa Sara brilhe no meu pensamento
Salve, Salve! Rainha dos Filhos do vento
Luz do Povo Cigano que apaga o desengano
Permaneça presente no viver da minha mente
Tenho fé que ouviu a minha prece
Santa Sara oferece uma luz que aquece
Coberta de lenços; são mantos de amor!
Rainha dos ciganos sempre cessa a minha dor

Olho o céu noturno e louvo a lua
Estrelas que iluminam toda a rua
Na minha noite não existe escuridão
Santa Sara sempre reluz em meu coração

Janete Sales Dany
Poema@protegido por lei
São Paulo - Brasil
T5732731
Licença Creative Commons
O trabalho SANTA SARA KALI - PRECE - POEMA de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.



 BLOG SEM FINS LUCRATIVOS
VIAJE A VONTADE NAS PÁGINAS
 NÃO EXISTEM PROPAGANDAS
                  SÓ POESIA

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

OLIMPÍADA




O-O mundo unido num evento sensacional
L-Lutadores de todas as cores
I-Imensa euforia em vencer a competição
M-Medalhas vão brilhando no coração
P-Países da nossa terra em confraternização
I-Irmãos, pois somos todos nesta vida!
A-Alma do esporte mostra o talento sem medida
D-Determinação em trazer o ouro para a nação
A-Ação, braço erguido e tocha na mão!


Janete Sales Dany
Poema@protegido por lei

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

BOBO

Diziam: Chegou o bobo, chegou o bobo!
Ele fazia estripulia e pensava que agradava
Diziam: Você é mágico, você é mágico!
Então o bobo acreditava e se achava...
Diziam: Você é lindo, você é lindo!
O Bobo ficava sorrindo!
Diziam: Você é peixe, você é peixe!
O bobo ouvia, sorria e corria para o mar...
Naquele dia acreditava que sabia nadar
Bastaram dois minutos para se afogar!

Ah, quem mandou o bobo acreditar?



Janete Sales Dany

Poema@protegido por lei

São Paulo - Brasil

11/08/2016

Moral da história: Ás vezes se deixar usar e não perceber isto é sintoma de ingenuidade exagerada! Nem todo mundo que vive aplaudindo costuma oferecer apoio numa derrota... Nem todo aquele que oferta a mão para alguém subir o primeiro degrau vai apoiar quando o mesmo estiver lá em cima, talvez ele seja o elemento principal para obstruir todo o êxito.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Pássaro Preso - Soneto Decassílabo Heroico

Lá no horizonte vive a liberdade
Onde se encontra aquela voz do vento
Corpo solto sentindo imensidade
Vontade que seduz meu pensamento

Asas abertas sobre esta cidade
O momento do meu renascimento
A esperança virando realidade
É sonho, acordo e vem o sofrimento!

Eu sou vida de um mundo tão pequeno
Vou mirando o que tem êxtase pleno
Vai se exibindo neste céu de encanto

Prossegue no clarão do amanhecer
Alcança o que não posso conhecer
E nunca escuta a mágoa do meu canto

Janete Sales Dany

Poema @protegido por lei
T5723934
São Paulo - Brasil
09/08/2016
Licença Creative Commons
O trabalho Janete Sales Dany de Pássaro preso está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Encerro esta publicação
com uma trova que tem tudo a ver

sábado, 6 de agosto de 2016

ALTAR PARA SANTA SARA - Soneto Decassílabo Heroico


Tenho um belo altar para Santa Sara
O recanto onde acalmo minhas dores
A proteção que não me desampara
O clarão que desfaz os meus temores


Eu faço oração para Santa Sara...
No meu caminho vão nascendo flores!
Profundo enlevo que não se compara
Rosas Frondosas de diversas cores


Louvação que ilumina o meu viver
Santa que entrega a Deus o meu dizer
Luz que sempre acalenta minha vida



Os ciganos são firmes nesta glória
Santa Sara traz fé na trajetória
Declaram toda graça recebida



Janete Sales Dany
Poema @protegido por lei
T5721100

06/08/2016 São Paulo - Brasil
Licença Creative Commons
O trabalho ALTAR PARA SANTA SARA de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Um Altar para Santa Sara Kali

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

ORCA, O GOLFINHO...




O-Orca, alguns chamam de baleia...
R-Recebe até o nome de assassina
C-Comporta uma beleza que fascina
A-A verdade: É um golfinho!

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Mal de Alzheimer

Todos percebiam que eu esquecia
Não me lembrava das coisas do dia a dia
Eu não notava o meu esquecimento
E alterava o humor a todo o momento
Do olhar tranquilo para o aflito