Seguidores

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Engaiolado - Soneto Decassílabo Heroico

Escuto a chuva, mas não me umedece...
Quando desce parece com meu pranto
Vejo o clarão do sol, mas não me aquece...
Nesta aflição jamais solto o meu canto!

Olho o horizonte logo que amanhece
Tenho asas presas, tanto desencanto!
Encaro a prisão que só me entristece...
Eu quero liberdade de um céu santo

Noutro tempo no jângal tinha um ninho
Hoje tenho castigo e estou sozinho 
Será que ninguém vê meu desalento?

Nasci para vencer a imensidão
Triste hora que adentrei num alçapão
Sonho tanto em sentir amor do vento...

Janete Sales Dany
Poema@registrado na Biblioteca Nacional
No livro: Soneto Amor eterno e outras
EXEMPLO DE MÉTRICA POETICA,
 DESTE SONETO DECASSÍLABO HEROICO:
Quatro estrofes
Duas de quatro versos
Duas de três versos
Dez sílabas poéticas.

Com acentuação tônica: 
na 6ª e na 10ª silaba

Licença Creative Commons
O trabalho Soneto Engaiolado de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.




Você também pode gostar:
CARTA DE UMA MÃE NO ASILO 
POESIA MAIS POPULAR NO BLOG


Nenhum comentário:

Postar um comentário