Seguidores

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Soneto Poeta Louco - Alexandrino

Faço verso comprido e que nunca termina
Eu procuro o sentido e ficou tudo errado
Isto surgiu de mim? Não, louco é quem assina!
Na calada da noite eu me sinto emperrado


Observo a folha escrita, é visão que alucina
Nela está meu amor, admito, eu sou culpado
Sei que sou desumano, o inferno é minha sina
Apago o que escrevi, mas surge do outro lado!

Imploro por perdão, meu pranto encharca o escrito...
Vejo um afogamento e o coração palpita
E nem chorar eu posso e liberto o meu grito

Faço verso comprido e me afogo no vinho...
Meu amor está preso, esta linha é maldita!
Sinto que fui vencido e vou dormir sozinho

Janete Sales Dany
Poema@registrado e imortalizado
na Biblioteca do Rio de Janeiro
No livro Soneto Manto Santo e outras - Página 07


O poeta fez versos para o seu amor,
mas viu que ela ficou presa na folha!
E ele chorou, chorou...
Exemplo de Soneto Alexandrino

Sílabas tônicas que são obrigatórias na 6ª e 12ª sílabas

Fa/ço /ver/so /com/PRI/do e /me a/fo/go/ no/ VIN/ho...

Meu/ a/mor/ es/tá/ PRE/so, es/ta/ lin/ha é/ mal/DI/ta!

Sin/to /que/ fui/ ven/CI/do e/ vou/ dor/mir/ so/ZIN/ho

Um soneto alexandrino possui 14 versos, 4 estrofes.
Dois hemistíquios cada um com 6 sílabas.

Definição de Hemistíquio: 
Metade de um verso cortado pela cesura.

(Vejo um afogamento)
(e o coração palpita)
Ve/jo um/ a/fo/ga/MEN/to e o /co/ra/ção/ pal/PI/ta
A elisão dos dois versos se deram com as sílabas: "to e o" 



2 comentários:

  1. Que coisa linda!...a ama liberta e o coração solto!...Aplausos e beijos fraternos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia caro amigo escritor Geraldo Coelho. Fico feliz que apreciou. Uma honra tê-lo presente aqui no Blog. Uma semana de paz Grande abraço Volte sempre.

      Excluir