Seguidores

domingo, 9 de abril de 2017

SONETO VERMELHO - Decassílabo Heroico

Sou cor eletrizante a se mostrar
Vermelho do vulcão em erupção 
Lampejo no meu céu, a se alastrar!
São sentimentos puros, emoção...
Talvez haja quem possa decifrar...
O que sou nesta vida? Mutação!
Vejo sopro em mim a me orquestrar
Sou contento e pesar de uma canção
Respiro no carmim da fantasia
A minha rima sangra neste verso
Rasguei meu coração nesta poesia!
Logo botões de rosas vão se abrir
Vermelhas, enfeitando este universo...
Sou pranto, mas também alma a sorrir!

Janete Sales Dany
Poema@registrado e imortalizado
na Biblioteca do Rio de Janeiro
No livro Soneto Manto Santo e outras - Página 08

Demonstração da métrica poética
deste soneto decassílabo heroico.
​​​​​​​Acentuação tônica na sexta e décima sílaba
Para realizar a metrificação poética 
é preciso ter ouvidos atentos



Algumas vogais se unem e são separadas 
de forma diferente da contagem silábica gramatical
Neste soneto um exemplo vou dar
separação de sílaba poética "escansão" :


Lam/pe/jo/ no/ meu /céu/, a /se a/las/trar!
São/ sen/ti/men/tos/ pu/ros,/ e/mo/ção...


Utilizei os programas gratuítos:
Gimp e o PhotoScape para fazer o GIF.


Várias sequências salvas uma por uma,
quando juntas dão o movimento imagem.


2 comentários:

  1. Respostas
    1. Bom dia querida amiga Antonia Diniz. Fico feliz que apreciou. Uma honra tê-la presente aqui no Blog. Uma semana de paz Grande abraço Volte sempre.

      Excluir