Seguidores

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Prece pelos pequeninos que não puderam crescer - Soneto Alexandrino



Tenho um clamor, meu Deus! 
É voz que quer nascer!

Pequeninos no adeus! 
E o céu está florido...

Perdem todo o viver!
E não podem crescer...

Mães que choram o fim, 
tempo tão dolorido!


Mãos que ofertam o aceno, 
e o pranto quer descer 

Olhe por todos, Pai! 
Abraça o ser sofrido!

Mãe, amor que reluz! 
Ama ver florescer...

Acalma o coração, 
que se sente ferido!



Que eles brinquem no céu... 
Na imortal inocência!

Pois a alma nunca morre 
e está segura a essência...

Risos vindos de lá! 
Tem canção de ninar!


E Deus nunca abandona, 
Ele olha os pequeninos!

Amém! Escuto a paz! 
Eu ouço os sons dos sinos!

Jesus está presente 
e não vai se afastar

Por Janete Sales Dany
27/10/2017
Poema@registrado e imortalizado
na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro
No livro:Soneto Lobo do Gelo e outras
Numero: 9267/17


São Paulo Brasil
Poesia@protegida por lei
Recanto das Letras:T6154396


Exemplo de Soneto Alexandrino


Sílabas tônicas que são obrigatórias 
na 6ª e 12ª sílabas

14 versos, 4 estrofes
Algumas vogais se unem 
e são separadas 
de forma diferente 
da contagem silábica gramatical

Neste soneto um exemplo vou dar
separação de sílaba poética "escansão" :

Pe/que/ni/nos/ no a/deus
E o /céu/ es/tá/ flo/ri/do...

Dois hemistíquios cada um com 6 sílabas
Neste verso a elisão foi feita com a vogal "e"
Pequeninos no adeus! 
E o céu está florido....

Apresento este soneto 
em vídeo também:

Temos visto casos e mais casos de 
pequeninos que vão embora cedo...
Crianças vítimas da violência, da fome,  
por negligência médica e de outras formas cruéis...
Isto abala o corações das mães!
Últimos  acontecimentos no Brasil:
As criancinhas que foram queimadas 
num incêndio criminoso na Creche em Janaúba, 
no total foram nove!
As duas meninas que foram estrupadas e mortas, 
na zona leste de São Paulo:
Adrielly Mel Porto, de 3 anos e 8 meses e
Beatriz Moreira dos Santos, de 3 anos e 11 meses
Isto abala o corações das mães
Existem mais casos tão pavorosos como estes, 
mas não vou me estender...
Tanta vida pela frente 
e foram lhes tirado o direito de viver!
O que podemos fazer diante 
de fatos já acontecidos?
Apenas orar...
Pedir para Deus abrandar a dor dos pais 
que perderam seus filhinhos tão cedo

Que Deus os tenha Nos Braços Largos do Amor

No final do Vídeo deixo 
uma oração muito linda: 

Prece de Cáritas:

Deus nosso Pai, 
que Sois todo poder e bondade, 
dai força àqueles que passam pela provação, 
dai luz àqueles que procuram a verdade,
e ponde no coração do homem a compaixão e a caridade. 
Deus, 
dai ao viajante a estrela Guia, 
ao aflito a consolação, 
ao doente o repouso. 
Pai, 
dai ao culpado o arrependimento, 
ao espírito, a verdade, 
à criança o guia, 
ao órfão, o pai. 
Que a vossa bondade se estenda sobre tudo que criaste. 
Piedade, Senhor, para aqueles que não Vos conhecem, e
esperança para aqueles que sofrem. 
Que a Vossa bondade permita aos espíritos consoladores, 
derramarem por toda à parte a paz, a esperança e a fé. 


Deus, 
um raio, uma faísca do Vosso divino amor pode abrasar a Terra, 
deixai-nos beber na fonte dessa bondade fecunda e infinita, e
todas as lagrimas secarão,
todas as dores acalmar-se-ão. 
Um só coração, um só pensamento subirá até Vós, 
como um grito de reconhecimento e de amor. 
Como Moisés sobre a montanha,
nós Vos esperamos com os braços abertos. 

Por Madame W. Krell, 
na cidade de Bordeaux, na França,




"Deixai vir a mim as crianças, 
não as impeçais,
pois o Reino dos céus pertence 
aos que se tornam 
semelhantes a elas..."
( Mateus 19:13) Amém




Em meus Sonetos Alexandrinos 
cometi um erro, uma das regras:
Terminar todos os versos com palavras paroxítonas 
(chamadas de palavras graves por Bilac e Passos).
Em alguns de meus versos, 
não estive atenta a esta regra...Mil perdões.
Deixo esta observação para os leitores 
que buscam modelos de Sonetos Alexandrinos
Janete Sales Dany


Este soneto já foi corrigido
clique na imagem para ver a publicação



Estou corrigindo pouco a pouco cada Um:


Eu Sou a Humanidade
Soneto Alexandrino Corrigido:

2 comentários:

  1. Mais um primor em umanidade, doce poetisa!
    Parabens! Obrigada por este momento!
    Linda página. Beijinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia querida amiga Marcia Cristina. Feliz em tê-la presente e por ter apreciado. Eu que agradeço a amizade tão linda e especial! Uma semana repleta de paz Volte sempre Beijinho no coração da amiga

      Excluir