Seguidores

sábado, 25 de novembro de 2017

Soneto Alexandrino - Corrigido



Amo este alexandrino, e nele o encanto impera...
Um soneto com alma e sinto que tem vida
Vem como realidade e some, nem me espera!
Renasce uma saudade e noto que convida...

Contemplo novamente e nasce a primavera
É verso que reluz, a cena é colorida...
Sinto as quatro estações, desenhos do que eu era! 
Soneto de emoções, fases da minha vida...

Minha manhã de amor, nela o sol que embevece!
Há também o meu pranto, e revela o que sinto...
Noto que a alma se agita, e é momento de prece...

Lembranças num soneto, e nasce a melodia
Caminho para o fim, e entro num labirinto!
Morte em vida é viver, reluzir na poesia


Janete Sales Dany

Poema@ registrado e imortalizado
na Biblioteca Nacional no livro:
Soneto Amor Eterno e outras


Exemplo de Soneto Alexandrino
Terminar todos os versos com palavras paroxítonas 

(chamadas de palavras graves por Bilac e Passos).
Sílabas tônicas que são obrigatórias na 6ª e 12ª sílaba
Lembranças num soNEto, 
e nasce a meloDIa!

14 versos, 4 estrofes
Dois hemistíquios cada um com 6 sílabas:
Lembranças num soneto, e nasce a melodia!
Neste verso a elisão foi feita com a vogal "e"



As fotos transformadas na animação
foram feitas no aplicativo Desenho de Retrato

Colocarei o link do site na foto,
caso você queira conhece-lo
eu recomendo:

2 comentários:

  1. Parabéns pela sua técnica literária amiga poetisa Janete Sales! A paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde querido amigo Escritor Eduardo Samuel, gratidão! Muito honra em ter a sua presença. Fico feliz que apreciou, uma sexta-feira de paz Volte sempre Abraços

      Excluir