Seguidores

sábado, 7 de outubro de 2017

Professora Heley de Abreu Silva Batista Homenagem



Querida Heley as crianças são flores

Que crescem aos poucos 

e o seu olhar é tão bom...


Rainha dos professores!


Seu ser é carinho, 
ele é como um ninho...

Que mesmo com dor 
abraçou este amor


Querida Heley para sempre 
viverá no coração

De todas as mães! 
Você é a mais bela canção!

Gratidão, 
gratidão, 
gratidão!!!

Anjo que no céu 
está livre agora

Por aqui, cada olhar ao lembrar, 
ainda chora!

Guerreira, alma boa repleta de luz!

Abraçou para salvar

Agora está abraçada com Jesus...



Janete Sales Dany
T6135689
Poema Todos os direitos reservados

Professora Heley de Abreu Silva Batista, 43 anos.
Uma guerreira, que mesmo estando em chamas
lutou para impedir a morte de várias crianças 
Num incêndio criminoso
numa creche em Janaúba (MG)
Ficou com 90% do corpo queimado 
E acabou falecendo... 05/10/2017
Hoje os brasileiros choram e lamentam: 
Pela morte da professora heroína: Heley 
Pelos queimados hospitalizados 
lutando pela vida
Pelas criancinhas mortas

O Brasil está de Luto!


Um livro, uma caneta, 
uma criança 
e um professor 
podem mudar o mundo... 

Malala Yousafzai.


A prefeitura de Janaúba está prometendo reinaugurar a creche Gente Inocente lugar onde aconteceu a dolorosa fatalidade.
A previsão é que isto aconteça até 80 dias. A unidade de ensino passará a se chamar professora Heley de Abreu.
Tudo que se fizer é pouco diante da atitude de alguém que não mediu esforços pelo amor a profissão, e que  perdeu  a vida por tentar salvar outras vidas.

domingo, 24 de setembro de 2017

Ilusões do Mundo - Soneto Decassílabo Heroico


Temo o instante do meu sono profundo
Não posso levar meus sonhos comigo
O sumiço das horas num segundo
Não verei mais aquele olhar amigo

Nem o encanto das flores, tão fecundo!
E nem a aurora que sempre bendigo
O fulgor das estrelas deste mundo...
Comigo? Não mais que num quadro antigo!

A minha casa não será mais minha
E assim eu deixarei tudo que tinha
Sim, todos os bens não serão mais meus!

Nem a pele que cobre, nem o pano...
Pensei que tinha tudo, doce engano!
No adeus só não me falte a mão de Deus...



Janete Sales Dany
T6123883
Poema@Protegido por lei
Registrado e Imortalizado
na Biblioteca Nacional
do Rio de Janeiro
No livro Soneto Manto Santo e outras


Soneto Decassílabo Heroico
Veja que cada verso possui 10 sílabas poéticas
A minha casa não semais minha
Neste exemplo a contagem termina em "min"
Sílaba tônica da última palavra do verso
a sílaba depois disto não deve ser contada

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Soneto Tempo - Alexandrino



O tempo é como o vento, ele fere o arvoredo
Arrasta nosso sonho e oferece a verdade
Expõe novo caminho,  é trecho de segredo!
Se eu pudesse rever... Devastava a saudade!

Eu avivava a estrela e quem sabe outro enredo
Mas não posso voltar, pois se foi minha idade!
O tempo não congela, e parece rochedo.
Firme numa razão... Compele sem piedade!

Agora é primavera e o colorido impera
Mas logo não será; tempo para florir...
Tempo para chorar; a flor será quimera!

E vão se as horas sempre, e o relógio não cede...
De um modo tão veloz, ponteiro a nos ferir
Nestas garras do tempo a vida se despede!

Janete Sales Dany
Soneto @Registrado e imortalizado
na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro
No Livro Manto Santo e Outras
Página: 07

 FaceApp é um aplicativo para celular
muito interessante, pois permite 
que o usuário faça modificações 
em fotos, mas somente no rosto. 
com ele você pode colocar 
efeitos, tipo: Envelhecer, rejuvenescer, 
tornar criança, por sorriso e outros.
Brincando com as fotos rs
A primeira imagem foi trabalhada 
com o programa PhotoScape
Com ele fiz o gif: animação
Exemplo de Soneto Alexandrino