Seguidores

quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Soneto Ilha Bela - Alexandrino


Soneto Ilha Bela

A balsa está chegando, alcanço um sentimento
Minha alma em Ilha Bela... Exalto a natureza!
Um ensejo bendito, um salmo no momento...
Oro na imensidade, e adormeço a tristeza!

Uma onda sempre implora, é um renascimento...
Este azul livre invade; águas da fortaleza!
Contemplo a eternidade e enlaço o firmamento
Placidez na Ilha Bela... A glória da grandeza!

Refúgios de aventura e cascatas de encanto!
Na vista de um mirante, uma tela divina
Instiga outro universo, o princípio de um canto

Êxtase em toda trilha, ó Deus que maravilha
Minha alma em ilha bela, uma paz me ilumina!
O sol faz um dourado e a superfície brilha

Janete Sales Dany
T6827648
Soneto@todos os direitos reservados
Registrado e imortalizado na Biblioteca Nacional

A balsa está chegando, alcanço um sentimento

A/ bal/sa ES/tá /Che/gan/do,
 Al/can/ço um /sem/ti/men/to
Minha alma em Ilha Bela... Exalto a natureza!
Min/ha al/ma em/ I/lha/ Be/la... 
E/xal/to a/ na/tu/re/za!
Um ensejo bendito, um salmo no momento...
Um /en/se/jo/ ben/di/to, 
um/ sal/mo/ no/ mo/men/to...
Oro na imensidade, e adormeço a tristeza!
O/ro/ na i/men/si/da/de, 
e a/dor/me/ço a/ tris/te/za!

Uma onda sempre implora, é um renascimento...
U/ma on/da/ sem/pre im/plo/ra, 
é/ um/ re/nas/ci/men/to...
Este azul livre invade; águas da fortaleza!
Es/te a/zul /li/vre in/va/de; 
á/guas/ da/ for/ta/le/za!
Contemplo a eternidade e enlaço o firmamento
Con/tem/plo a e/ter/ni/da/de 
e en/la/ço o/ fir/ma/men/to
Placidez na Ilha Bela... a glória da grandeza!
Pla/ci/dez/ na I/lha/ Be/la... 
A/ gló/ria/ da/ gran/de/za!
Refúgios de aventura e cascatas de encanto!
Re/fú/gios/ de a/ven/tu/ra 
e/ cas/ca/tas/ de en/can/to!
Na vista de um mirante, uma tela divina
Na/ vis/ta/ de um/ mi/ran/te, 
u/ma/ te/la/ di/vi/na
Instiga outro universo, o princípio de um canto
Ins/ti/ga ou/tro u/ni/ver/so, 
o /prin/cí/pio/ de um /can/to

Êxtase em toda trilha, ó Deus que maravilha 
Êx/ta/se em/ to/da/ tri/lha, 
ó/ Deus /que/ ma/ra/vi/lha
Minha alma em ilha bela, uma paz me ilumina!
Min/ha al/ma em/ i/lha/ be/la, 
u/ma/ paz/ me i/lu/mi/na!
O sol faz um dourado e a superfície brilha
O/ sol/ faz/ um /dou/ra/do 
e a /su/per/fí/cie/ bri/lha
As regras de um Alexandrino:
Sílabas tônicas que são obrigatórias 
Sempre acontecem na sexta 
e décima segunda sílaba 

Possui: Quatro estrofes,
dois quartetos seguidos 
de dois tercetos
Todas as terminação dos versos 
Possuem palavras paroxítonas 
Cada verso com dois hemistíquios
(São chamadas de palavras 
graves : Bilac e Passos).

Um pouco sobre a viagem: Adorei o acesso a Ilha Bela, feito por meio da balsa para pedestres e automóveis. No primeiro dia, uma das praias que visitamos foi a do Jabaquara. Lugar paradisíaco com visual exótico. É conhecida como uma das praias mais atraentes e preservadas de Ilha Bela. Fui picada por vários borrachudos, muita coceira e irritação na pele... No dia que voltar a esta praia... Não esquecerei os repelentes. 
Dica importante: parece que os repelentes vendidos no mercado não são muito eficientes. O ideal é utilizar os que são os vendidos na Ilha! Repelentes próprios e com certeza podem ser encontrados no comércio local. 

Repelente Insetos Citroilha 
-  Ilha Bela - Extra Forte


Na pousada em que ficamos havia muita  citronela, por lá não notamos um borrachudo sequer!
 É uma planta aromática que fornece matéria-prima (óleo essencial) na fabricação de repelentes contra vários tipos de mosquitos, principalmente borrachudos.
Uma amiga me ensinou esta receita: macerar 100g de folhas secas de citronela, rasgadas  em meio litro de álcool de 70%, durante duas semanas  em um recipiente escuro. Todos os dias agite o frasco. Depois maceração, coe num filtro de papel, e pode ser utilizado em  vela aromática ou passe para uma garrafinha através de um funil, coloque um palito de churrasco! Não se esqueça de virar o palito de vez em quando para que a essência continue a afastar os mosquitos do ambiente.
No segundo dia estivemos na Praia do Julião, e não sentimos a presença de muitos borrachudos,
local espetacular e tranquilo.
Tendo estes cuidados... é só curtir Ilha Bela, um verdadeiro paraíso!

Exponho o relato da minha nora, 
e toda complicação pelas picadas:

No dia que levei as picadas estávamos no Norte da Ilha, o lugar que mais tem borrachudos, nesse dia não senti efeito nenhum, nem parecia que tinha picadas sobre o corpo. 
Passaram três dias, as picadas começaram a inchar e coçar então fui ao hospital e o médico passou uma pomada(de nada adiantou). Passei essa pomada por dois dias até que estava sentindo uma coceira insuportável e uma forte ardência na pele, a vermelhidão começou a aumentar em volta das picadas e surgiram bolhas de pus. 
No sexto dia tive febre, voltei ao hospital e foi detectado infecção. Tomei antibiótico, antialérgico e corticoide por 7 dias até apresentar uma melhora.

Hoje não sinto mais coceiras porém minha pele ficou manchada, faço tratamento para clarear as manchas que ficaram.

















Decidi colocar  os encantos de Ilha Bela, e ao mesmo tempo este alerta,use repelentes, não facilite... Dizem que no inverno há uma trégua na presença de borrachudos,
porém no verão eles aparecem, por isto, nunca se esqueça do repelente, o filtro solar pode ser passado sobre ele... Não deixe que este mosquito estrague dias maravilhosos vividos nesta Ilha fascinante!
Uma sugestão, deveria ser ofertado na travessia da balsa, um folheto explicativo falando sobre este assunto, ou até mesmo deviam vender um repelente apropriado, isto seria importante, pois muitos que visitam Ilha Bela reclamam das picadas...
Faltaram informações, pois assim poderíamos nos precaver, utilizando repelentes adequados, e evitando as áreas em que existem mais borrachudos conhecidos também como mosquitos pólvoras.
Penso que quanto mais a gente se envolve num assunto as soluções aparecem, publiquei no Facebook o ocorrido, com fotos e tudo...e recebi um comentário valoroso e vale expor aqui:
 (repelente comum não funciona contra borrachudos. Usei repelucho, um tipo de repelente com óleo (fedido pra kct) vendido nos mercados da ilha bela. Único que realmente funcionou e afastou os mosquitos). Diego

Tenho uma dica valorosa também para amenizar a coceira e reduzir a dor nas picadas: Aplicar leite com água, para mim funcionou, é surpreendente como algo tão simples, é tão eficaz!
Licença Creative Commons
O trabalho Soneto IlhaBela de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


DEUS acendeu a luz quando fez o SOL
DEUS lavou a terra quando fez a ÁGUA 
E encantou a vida quando fez VOCÊ! 
Janete Sales Dany”.

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

PESADELO Soneto Alexandrino


Uma noite sem sono e outro dia me abraça 
Quero me desprender, deste carma medonho! 
Porta que quase se abre e repete a pirraça 
Rindo, vai se fechando, evaporando um sonho 

Olho o alto da montanha e a dúvida me enlaça 
Está certo o que mostro? O meu verso tristonho? 
Minha vida que passa e eu atrás da vidraça... 
Não existe quem ouça; o embaraço que exponho... 

Sinto o pranto da chuva, e o contratempo avança 
O penhasco é estreito, e rouba a liberdade... 
Enfraqueço esse carma ou a vida balança 

Surge em mim algo estranho, esboçando um apelo 
Logo busco um espelho e almejo a realidade 
Minh'alma reverdece... Apenas pesadelo!

Janete Sales Dany
Soneto@registrado e imortalizado
na Biblioteca Nacional no livro:
Soneto Império do tempo e outras


Uma noite sem SOno e outro dia me aBRAça
Quero me desprenDER, deste carma meDONho!
Porta que quase se Abre e repete a piRRAça 
Rindo, vai se feCHANdo, evaporando um SONho

Olho o alto da monTANha e a dúvida me enLAça
Está certo o que MOStro? O meu verso trisTONho?
Minha vida que PAssa e eu atrás da viDRAça...
Não existe quem OUça; o embaraço que exPONho...

Sinto o pranto da CHUva, e o contratempo aVANça
O penhasco é esTREIto, e rouba a liberDAde...
Enfraqueço esse CARma ou a vida baLANça

Surge em mim algo esTRANho, esboçando um aPElo
Logo busco um esPElho e almejo a realiDAde
Minh'alma reverDEce... Apenas pesaDElo!
Janete Sales Dany

A métrica deste soneto exposta
na imagem: as letras grifadas
com azul são as sílabas tônicas
que seguem a regra de um Alexandrino
Sempre acontecem na sexta 
e décima segunda sílaba 
Possui:
Quatro estrofes,
dois quartetos seguidos 
de dois tercetos
Todas as terminação dos versos 
Possuem palavras paroxítonas 
Cada verso com dois hemistíquios
(São chamadas de palavras 
graves : Bilac e Passos).


Imagem Caveira: Pixabay 
https://pixabay.com/pt/photos/esp%C3%ADrito-halloween-assustador-2896964/
Todo mundo vai sentir na vida a experiência 
de um pesadelo,  sonho angustiante
com a sensação de que seja algo que 
está acontecendo de verdade 
termina num despertar agitado 
e com ansiedade, que logo passa
ao se ver que não foi realidade

Esta animação fiz no Photo Lab : 
um aplicativo para celular
que contem molduras, filtros, efeitos, colagens 
e montagens sensacionais para fotos!

sexta-feira, 7 de junho de 2019

Herói Soneto Decassílabo Heroico


Sinto que sou herói sem armamento 
Fui ferido e sorri para o opressor 
Arranquei do meu peito o sofrimento 
Eterno vencedor mesmo na dor 

Afastado de todo este tormento 
Olho dentro de mim e encontro amor 
Não necessito de armas no momento 
Exalto no alto a fronte do criador 

Sou como águia que alcança outro horizonte 
E se banha na fé que cai da fonte 
Sonho com a esperança em minha terra 

O silêncio persiste num guerreiro 
Do ódio jamais serei um prisioneiro 
Sobrevivo de amor, abrando a guerra...

Janete Sales Dany
Soneto Registrado e imortalizado
na Biblioteca Nacional no livro: 
Soneto Império do tempo e outras
Página: 08
Regras a serem seguidas:
Quatro estrofes 
Duas primeiras são quartetos
e as duas últimas são tercetos 
APRESENTAÇÃO  da métrica
Dez sílabas em cada verso
Sílabas tônicas na
sexta e décima sílaba
Escansão
HERÓI

Sinto que sou heRÓI sem armaMENto 
Fui ferido e soRRIpara o opreSSOR
Arranquei do meu PEIto o sofriMENto 
Eterno venceDOR mesmo na DOR 

Afastado de TOdo este torMENto 
Olho dentro de MIM e encontro aMOR 
Não necessito de ARmas no moMENto 
Exalto no alto a FRONte do criaDOR 

Sou como águia que alCANça outro horiZONte 
E se banha na FÉ que cai da FONte 
Sonho com a espeRANça em minha TErra 

O silêncio perSISte num gueRREIro 
Do ódio jamais seREI um prisioNEIro 
Sobrevivo de aMOR, abrando a GUErra...

Janete Sales Dany
Licença Creative Commons
O trabalho Herói soneto decassílabo heroico de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Não desfaças o herói 
que está na tua alma! 
Friedrich Nietzsche 1844 - 1900


Não usemos bombas nem armas para conquistar o mundo. Usemos o amor e a compaixão. A Paz começa com um sorriso. Sorria pelo menos cinco vezes por dia para as pessoas a quem você normalmente não daria um sorriso. Faça isso pela paz. Irradiemos a paz de Deus e tornemo-nos o reflexo de Sua luz para extinguir no mundo e no coração dos homens toda espécie de ódio e o amor pelo poder. Sorria junto com os outros, embora isso nem sempre seja fácil. Madre Teresa de Calcutá 

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Soneto Império do Tempo - Decassílabo Heroico


Reconheço os desenhos no meu rosto 
A tristeza e alegria em minha vida 
O espelho nunca esconde, deixa imposto. 
Um passado distante, alma partida! 
Anoitece a visão num pranto exposto 
Amanhece num riso, o sol convida! 
Sinto o corpo insensível, indisposto... 
O espírito criança olha e duvida! 
Canta doces canções na minha mente... 
Desejo de brincar... Eternamente! 
Sem demora a verdade prevalece 
Com os braços abertos acho a garra... 
Do tempo alucinado que me amarra! 
E a fome do meu ontem adormece
Janete Sales Dany
Soneto Registrado e imortalizado
na Biblioteca Nacional no livro: 
Soneto Império do tempo e outras
Página: 04

Estrutura:ABAB,ABAB,CCD,EED
Versos Decassílabos Heroicos

Regras:Dez sílabas poéticas, 
em cada verso apresentado...
Quatro estrofes:
 duas de quatro versos (quartetos)
e mais duas de três versos (tercetos)
Sempre a sílaba tônica  está
na sexta e décima sílaba de cada verso

Licença Creative Commons
O trabalho Soneto Império do Tempo de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

O meu fascínio pela poesia, não se estende somente nas de versos livres,acrósticos, prosas, poemas rimados e outros...
Sinto um amor profundo pelos sonetos, e os que mais aprecio,
são os sonetos clássicos: Decassílabos Heroicos e os Alexandrinos.
O lirismo presente neles, o amor, a dor, ou ás vezes, expressando um problema social, são vozes que alcançam a alma.
Sou apaixonada por Camões, Augusto dos Anjos, Bilac, Machado de Assis, Vinícius de Moraes, Cruz e Souza, Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade e outros mais.
As utilizações de metáforas fazem dos versos algo estimulante, nos fazem pensar, a beleza está nos horizontes alcançados de cada leitor. 
O encanto da poesia é isto, cada um tem uma visão distinta, e surgem novos poemas no raciocínio de outras mentes...
Não fico tristonha quando a minha poesia está exprimindo sobre um tema, e alguém comenta algo que eu não havia enxergado antes na mesma.
Poemas são pensamentos que criam asas, e nunca se dirigem para o mesmo recanto.
Nos sonetos, a métrica, os quatorze versos, a estrutura inteira, é como um desafio para o escritor. Em cada um, surge um filho, que sobreviverá nas letras do tempo.