Seguidores

domingo, 5 de julho de 2020

Florida na Ida


A morte não avisa, alcança a vida, 
a flor viçosa murcha e perde a cor 
Um fim que não enxergo alguma dor, 
jamais sentida e vou florida na ida! 

Andejo em campo eterno, a fé erguida, 
louvores, Mão de Deus por onde for! 
Na noite escura brota a luz do amor 
A aurora nunca finda na partida... 

O tempo aterra as folhas do passado 
Arranca o sonho ainda tão sonhado... 
O inverno aflige o olor da primavera 

Mudança necessária, o ser levado... 
No abismo sinto o rosto do elevado 
E lá embaixo, o fim acena e espera!

Janete Sales Dany


Soneto@todos os direitos reservados
ESQUEMA RÍMICO: ABBA/ABBA/CCD/CCD


Soneto Decassílabo Heroico
Tônicas na sexta e décima sílabas
Ritmo Binário

FLORIDA NA IDA

A morte não aVIsa, alcança a VIda, 
a flor viçosa MURcha e perde a COR 
Um fim que não enXERgo alguma DOR
jamais sentida e VOU florida na Ida! 

Andejo em campo eTERno, a fé erGUIda, 
louvores, Mão de DEUS por onde FOR
Na noite escura BROta a luz do aMOR 
A aurora nunca FINda na parTIda... 

O tempo aterra as FOlhas do pasSAdo 
Arranca o sonho aINda tão sonHAdo... 
O inverno aflige o oLOR da primaVEra 

Mudança necesria, o ser leVAdo... 
No abismo sinto o ROSto do eleVAdo 
E lá embaixo, o FIM acena e esPEra!


Janete Sales Dany

quinta-feira, 2 de julho de 2020

O véu do céu ainda chora


O dia clama, fui vencida, agora...
Recordo o tempo ornado de emoção!
O mundo estranha toda a dor que implora
Insisto e perco o verso, e soa o não...

Em cada linha surge a voz de outrora...
Apago o som, e vejo que é em vão!
Amor, o véu do céu ainda chora
Frieza empalidece o meu verão

O sonho deita e dorme no infinito,
no sono duradouro e arrisco o risco
Revejo e só me vejo... Trecho aflito!

E o tempo marcha lento não aguento,
no escuro surge o poema tão arisco...
Aflora em céu cinzento, e quer alento!

Janete Sales Dany
02/07/2020  
Soneto@Todos os direitos reservados
T6994467

Recordo o tempo orNAdo de emoÇÃO!
Soneto Decassílabo Heroico
Tônicas na sexta 
e décima sílaba


 Fraco-FORTE
Átona e Tônica
O dia clama, fui vencida, agora...
Ritmo binário ascendente (jâmbico):
 um acento fraco (breve) 
seguido de um acento forte


Este soneto sendo  analisado pelo site: Aoidos
Clique na imagem para acessar o site
O Aoidos é um sistema que digitaliza automaticamente versos em português e espanhol. Para ter acesso a todos os seus recursos, você deve fazer login (ou se registrar, se não tiver uma conta). 
Você também pode tentar o Aoidos enviando um pequeno poema.
Licença Creative Commons
O trabalho O véu do céu ainda chora de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

quinta-feira, 25 de junho de 2020

O MAR DO NOVO DIA


Do mar estimo o pranto da saudade 
O olhar perfaz o azul e até convida
A brisa adentra em mim, amor que invade
O sonho voa, abraça a luz da vida

Adoro o mundo, um verso eternidade...
Obtenho rimas de ouro, a verve ungida!
A fonte alcança os pés e o medo evade
O céu da glória, a fé fortalecida!

Desejo a aurora erguida na canção
As notas são do amor que vive em mim
No mar amarro tudo, e esqueço o não!

Queria ver a cor da fantasia
O verso ondula e só me diz um sim
Se quero espero a vez do novo dia!

Janete Sales Dany
T6988000
Soneto@ todos os direitos reservados

O verso ondula e só 
O/ VER/so on/DU/la e/  
me diz um sim
/me/ DIZ/ um /SIM
VERSO BINÁRIO
Sequência de
átona e tônica
Grupo isométrico de versos, 
cada um com 10 sílabas





2-4-6-10
Do
ma-
r es-
ti-
mo o
pran-
to
da
sau-
da-
de
2-4-6-8-10
O o-
lhar
per-
fa-
z o a-
zul
e a-
con-
vi-
da
2-4-6-8-10
A
bri-
sa a-
den-
tra em
mim,
a-
mor
que in-
va-
de
2-4-6-8-10
O
so-
nho
voa,
a-
bra-
ça a
luz
da
vi-
da
2-4-6-10
A-
do-
ro o
mun-
do, um
ver-
so e-
ter-
ni-
da-
de...
2-4-6-8-10
Ob-
te-
nho
ri-
mas
de ou-
ro, a
ver-
ve un-
gi-
da!
2-4-6-8-10
A
fon-
te al-
can-
ça os
-
s e o
me-
do e-
va-
de
2-4-6-10
O
céu
da
gló-
ria, a
for-
ta-
le-
ci-
da!
2-4-6-10
De-
se-
jo a au-
ro-
ra er-
gui-
da
na
can-
ção
2-4-6-8-10
As
no-
tas
são
do a-
mor
que
vi-
ve em
mim
2-4-6-8-10
No
ma-
r a-
ma-
rro
tu-
do, e es-
que-
ço o
não!
2-4-6-10
Que-
ri-
a
ve-
r a
cor
da
fan-
ta-
si-
a
2-4-6-8-10
O
ver-
so on-
du-
la e
me
di-
z um
sim
2-4-6-8-10
Se
que-
ro es-
pe-
ro a
vez
do
no-
vo
di-
a!

Tônicas somente nas sílabas pares

Sílabas Poéticas

Poema10total
1414
Total1414

Licença Creative Commons
O trabalho O MAR DO NOVO DIA de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

sábado, 20 de junho de 2020

ANDARILHA - Soneto Alexandrino



Sigo na trilha em paz, há um azul em mim..
O vento traz o mar, a brisa da poesia
A carícia do amor, a tez sente e diz sim!
Espírito floresce, era o que mais queria...

Há um vermelho em mim, o meu jardim carmim!
A rosa que se esconde, e pulsa em fantasia
Pétalas de emoção... Um lumaréu sem fim!
Abrigo de energia, alma que nunca esfria

E a noite se derrama e no alto a lua brilha,
repleta de intenção, é verve enfeitiçada!
Uma estampa que amplia, e encoraja a andarilha,

minha vida num lago, espelho que fascina!
Há mistério no olhar, essência apaixonada...
Prisioneira da estrada... Admito é minha sina!

Janete Sales Dany
20/06/2020 T6983301

Significado: an·da·ri·lho
Junção de (andar + -ilho)
Aquele que anda muito, que vagueia.
Regras do  Clássico
Soneto Alexandrino:
Sempre
Versos com dois hemistíquios
Sílabas tônicas, são obrigatórias 
e ocorrem na sexta 
e décima segunda sílaba 
Possui: Quatro estrofes,
dois quartetos seguidos 
de dois tercetos
Licença Creative Commons
O trabalho Andarilha de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.