Seguidores

terça-feira, 28 de março de 2017

Pássaro sem Céu - Soneto Decassílabo Heroico

Você me prende e se sente animado
E do lado de fora comemora
E não se importa em me ver agitado
Nesta situação toda hora demora

Você me prende dentro de um quadrado
E do lado de fora me namora
Estou preso sem ter feito um pecado
Meu Deus onde está toda paz de outrora?

E cortou minhas asas, sem piedade!
Removeu de mim a felicidade
E reclama que não faço canção

E do lado de fora me examina
Parece que ama a minha triste sina...
Esta existência, sem céu de emoção!


Janete Sales Dany
Todos os direitos reservados
Poema registrado e imortalizado
na Biblioteca Nacional
No livro Soneto Manto Santo e outras
Licença Creative Commons
O trabalho Pássaro sem céu de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Deixo aqui como exemplo
a divisão de sílaba poética 
"Métrica"deste poema:
Rimas alternadas ABAB, quatro estrofes,
sendo dois quartetos e dois tercetos.


Perceba que a acentuação tônica
acontece na sexta e décima silaba,
coloquei cor azul nas mesmas,
para que fiquem evidenciadas.




4 comentários:

  1. Respostas
    1. Bom dia caro amigo escritor Eduardo Samuel. Fico feliz que apreciou. Uma honra tê-lo presente aqui no Blog. Uma semana de paz Grande abraço Volte sempre.

      Excluir
  2. Poeticamente descreveste essa triste verdade... ainda continuam prendendo os pequeninos! Amo vê-los voando!
    Forte abraço querida amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite querida amiga Imaculada! Fico imensamente feliz com sua visita...Também penso da mesma forma que você. Amo Vê-los Voando...Uma semana repleta de paz Volte sempre. Forte abraço!

      Excluir