Seguidores

terça-feira, 4 de julho de 2017

SONETO RIO SECO - Decassílabo Heroico

As águas não vêm mais me umedecer
Tanta dor no meu chão... Ficou trincado!
Olho em redor, morreu meu florescer...
O pardal que cantava está calado

À noite o desespero quer crescer
Pois nunca desce a chuva do elevado
Reina um silencio firme a enlouquecer
Sem o vento o que pode ser mudado?

Não virão nuvens que cubram a lua
Choro seco e assim a dor continua
Amanhece e o sol firme se oferece...

Para abrasar de novo o coração!
Vem logo cedo e sem excitação...
Comparece assolando a minha prece!

Janete Sales Dany
Poema@ Protegido por lei
Registrado e imortalizado na
Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro
No Livro: Soneto Manto Santo e Outras
Página 04

Aqui apresento a métrica deste
Soneto Decassílabo Heroico.
Estão em maiúsculo a sexta
e décima sílaba tônica de cada verso


Rimas alternadas ABAB,
quatro estrofes, sendo: 
dois quartetos e dois tercetos.

As imagens foram trabalhadas
nos programas Gratuitos
PhotoScape e Gimp
No Gimp utilizei a deformação interativa
Obtendo os movimentos no rosto
na primeira imagem.
E as sequências 
foram criadas no PhotoScape
Obtive no LunaPic
alguns efeitos no rosto antes 
de transformar em animação 
Site que faz vários efeitos em imagens

Licença Creative Commons
O trabalho Soneto Rio Seco de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


4 comentários:

  1. Como sempre. .. Mais um belo e exímio trabalho.
    Parabéns, por mais essa grande composição.
    Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia querida amiga Mônica Pamplona. Obrigada pela linda presença e pelo estímulo valoroso. Um domingo de paz Bjs

      Excluir
  2. Lindo soneto Janete! Soneto "Rio seco!" Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia querido amigo Benedito Rufino. Muitíssimo obrigado pelo estímulo, um domingo de paz Bjs

      Excluir