Seguidores

domingo, 11 de outubro de 2015

Soneto Criança Abandonada


Terei nascido num lugar sem gente?
Sou sozinho, quem pode ser meu pai?
Sempre invento uma mãe na minha mente
Pode ser Natal, mas o pranto cai.


Alguém afirmou que sou má semente
Se me aproximo todo mundo sai
O sol queima o meu rosto e como é quente!
Querem me rejeitar e a fé se esvai

Se mostro que sou bom, eu sou fingido!
Não sou marginal, sou ser esquecido
Descanso no chão e tenho tanta fome

Não sei ler e não posso ser um réu
As nuvens mostram frases lá no céu
Eu tento decifrar qual é o meu nome...

Janete Sales Dany
Poema@protegido por lei
T5411658
Licença Creative Commons
O trabalho Soneto Criança Abandonada de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


2 comentários:

  1. Que soneto lindo ....
    porém triste .
    Uma criança abandonada não conhece o amor
    será um adulto que não saberá amar
    Em consequência , pode até ser agressivo ou quem sabe violento.
    Uma pena !
    abs
    Kiko

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia amigo Kiko!
      Agradeço a presença
      Fico feliz que tenha apreciado as minhas linhas...
      Concordo com o que disse!
      Volte sempre
      Grande abraço

      Excluir