Seguidores

sábado, 12 de março de 2016

Soneto Borboleta - Decassílabo Heroico

Borboleta vistosa que se move
É quimera difícil de alcançar
Exibição sagaz que me comove!
Parece o ontem que nunca vai voltar

Existem as lembranças e então chove
Os meus sonhos estão longe do olhar
Um delírio que faz com que alma trove
Borboleta ágil que não quer pousar!

As asas carregadas de mil cores
Ela vive escondida nestas flores
Parece o meu passado a se esconder

Eu recordo das minhas primaveras
Agora se ocultou por entre as heras
É liberta e jamais quer se render


Janete Sales Dany

Poema@Protegido por lei
Registrado e imortalizado na Biblioteca Nacional

Com este poema participo
da Antologia imagem e literatura
PEAPAZ



Licença Creative Commons
O trabalho Soneto Primavera de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

2 comentários:

  1. Uma única borboleta pode nos inspirar força e fragilidade... como são efêmeras, mas nos provocam um amor eterno...
    Lindo poema, amiga.
    Um excelente domingo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite querida amiga Malu!
      Obrigada pela linda presença...
      Belas palavras deixadas aqui,
      fico feliz que gostou...
      Uma semana de paz
      Beijos no coração

      Excluir