Seguidores

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

É Natal, reluziu a estrela guia! Soneto Decassílabo Heroico

Pés descalços, a fome sempre resta... 
Porventura, no lixo, um alimento!
Cidade iluminada, quase em festa
Um olhar consternado, mas atento!

Começou a sonhar com o que resta!
As estrelas no céu, só este alento...
Uma festa! Nem que fosse modesta!
Então viu uma luz no firmamento

Algo alcançou seu pobre coração
Começou a fazer uma oração
E no alto reluziu a estrela guia

Mais intensa, ficou aquela luz
E sonhou com a vinda de Jesus!
Uma noite repleta de alegria!

Janete Sales Dany
Poema@registrado e imortalizado
na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro
No livro:Soneto lobo do gelo e outras
Numero: 9267/17

São Paulo Brasil
Recanto das letras:T6159719
Demonstração da métrica poética
deste soneto decassílabo heroico.
​​​​​​​Acentuação tônica na sexta e décima sílaba
Para realizar a metrificação poética 
é preciso ter ouvidos atentos
Algumas vogais se unem e são separadas 
de forma diferente da contagem silábica gramatical
Neste soneto um exemplo vou dar
separação de sílaba poética "escansão" :

Ci/da/de i/lu/mi/NA/da, /qua/se em/ FES/ta


As imagens foram trabalhadas
nos programas Gratuitos
PhotoScape e Gimp

Primeira imagem Gif:
No Gimp utilizei a deformação interativa
Obtendo os movimentos no rosto
na primeira imagem.
E as sequências 
foram criadas no PhotoScape
Já em vídeo no meu canal de YouTube

Licença Creative Commons
O trabalho É Natal, reluziu a estrela guia! Soneto Decassílabo Heroico de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


De que vale mesa farta no Natal,
mas não lembrar do principal:
Jesus
Assim a festa de Amor perde a luz
Deus ensinou à humanidade, 
naquele primeiro dia de Natal, 

o que era ser homem. 

Dar e não tomar. 

Servir e não dominar. 
Nutrir e não devorar.

Charles Kingsley

Nenhum comentário:

Postar um comentário