Seguidores

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Da exaustão o renascer!





Cansei de tanto temer
O que não vai acontecer
O futuro imprevisível
O passado inesquecível

Cansei de tanto ver
O meu dia escurecer
O sonho adormecer
O justo se render

Cansei de tanto perder
A vontade de vencer
Do amanhã a aurora
A vida que há lá fora





Cansei de tanto construir
Obstáculos para não seguir
A muralha que me aprisiona
O medo que me espiona

Cansei de tanto ouvir
A palavra que quer ferir
Promessas ditas em vão
Políticos sem o coração

Cansei de tanto assistir
A porta que não vai abrir
A maldade no fundo do olhar
A fraqueza de não recomeçar




Cansei de tanto procurar
Flores no fundo do mar
No céu a força da onda
Na terra a lua redonda

Cansei de tanto buscar
No ódio razão para amar
Na trilha um ponto final
A morte do mal imortal


Cansei de tanto tentar
Disfarçar o meu pesar
Saciar a sede medonha
Cair sem molhar a fronha


Cansei de tanto procurar
Motivos para acreditar
A certeza de toda alegria
Na tempestade a calmaria

Cansei de tanto buscar
Tesouros dentro do mar
O começo no ponto final
O que sobrou do vendaval

Cansei de tanto procurar
Em rostos aquele olhar
O calor que me aqueceu
O amor que nunca morreu

Janete Sales Dany
08/01/2013 
Respeite os direitos autorais
Registrado na Biblioteca Nacional
do Rio de Janeiro
No Livro: Deixe Sua Luz Brilhar
Página 44



 Licença Creative Commons
O trabalho Da exaustão o renascer! de Janete Sales Dany foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. OLá Ricardo Alves!

      Um prazer tê-lo aqui!

      Da exaustão o renascer!
      No sofrer a lição!

      Obrigado amigo pela presença!

      Ótima semana!

      Um grande abraço

      Excluir